Celebrando o ser escritor

Ontem foi o dia do escritor e recebi diversas menções nas redes sociais – tive a oportunidade, também, de parabenizar meus colegas. Mas eventualmente, ontem também me lembrei do que representa ser autor Brasileiro, das dificuldades do mercado, da preferência do público por títulos estrangeiros e…

Parei. Não quero mais lidar com o discurso disco arranhado que insiste em me arrastar para um precipício do qual não pretendo pular. Sim, ser escritor é difícil e o caminho é espinhoso, mas sejamos sinceros: toda profissão é assim. Quero celebrar as oportunidades, as vitórias, as alegrias. Quero comemorar cada exemplar vendido na Amazon, mesmo que isso represente muito pouco em um contexto geral. Para mim, representa tudo. É uma pessoa a mais lendo minha obra. Quero celebrar cada novo número no Wattpad e cada comentário que fazem em uma história. Quero dar vivas para os reviews recebidos. Quero me alegrar com cada um que recomenda minhas obras. Com os eventos que ainda vou participar. Com as pessoas que dizem “quero ler esse livro”.

Vou comemorar porque sou escritora, porque tenho vitórias, mesmo entre algumas derrotas, porque meus colegas estão conseguindo desbravar o mercado literário, alguns fazendo grande sucesso, outros celebrando comigo cada pequena conquista.

Sei que foi ontem. Mas feliz dia do escritor. Porque sim, eu tenho mais orgulho do que motivos para reclamar.